Universo em Série


Às vezes me pego a pensar o motivo de as séries de TV me conquistarem tanto e sei que muitas pessoas também se perguntam o mesmo, tanto sobre mim quanto sobre elas mesmas. Lendo um texto antigo que escrevi, eu entendi e compartilho com vocês hoje:
A vida nunca é completamente fácil. Seja você pobre ou rico, esperto ou não, com estudo ou sem, sempre temos problemas, as famosas pedras no caminho. Na vida de alguns eles são mais constantes, aparecem um atrás do outro, sem dar tempo de respirar aliviado, e, às vezes, mas só às vezes, é difícil manter o pensamento positivo. Sinceramente, acho que por isso sou tão viciada em séries, consigo escapar do meu mundo e viver um outro completamente diferente nem que seja por 20 minutinhos. Mundo este que, é bom deixar bem claro, também não é livre de problemas.

Nessa minha “outra vida”, consigo ser parte de uma família unida, de uma outra que é completamente louca, uma toda moderna e ainda de outra formada por amigos. Vivo com vampiros, médicos, enfermeiras, policiais e por aí vai. E o mais importante de tudo é que me divirto com eles e muito. Barney Stinson, de How I Met Your Mother, é um dos meus personagens preferidos. Sempre me faz rir com suas tiradas e patetadas, e o mais importante, quase nunca se deixa abalar. Quase porque mesmo sendo um personagem, ele é humano e sempre temos nossas fraquezas. Mas quem está mesmo no topo de personagem favorito, ídolo, modelo, é Lorelai Gilmore, de Gilmore Girls. Ela é o exemplo de mãe que eu gostaria de ser, de mulher forte, engraçada e extremamente guerreira. Assim como Adam, de Parenthood, seria o irmão mais velho que eu sempre quis ter e a quem eu iria recorrer no momento em que precisasse.

Lá, no meu refúgio, não falta aventura, como as dos personagens de LostRookie Blue,Hawaii Five-O, e Castle, minha nova paixão. É rodeado de mistérios como os encontrados em Fringe, HavenPretty Little Liars Supernatural. Nunca fica entediante e é cercado por várias fofocas, como as de Blair Waldorf e sua turma em Gossip Girl. E é sempre cheio de romance, como em Mike & MollyThe Secret Life of the American Teenager, e em praticamente todas as outras, já que o romance ininterruptamente dá às caras. Alguns desses mundos trazem mensagens, lições, algo no que pensar ou então só lhe remetem a um outro lugar mesmo, longe de tudo, geralmente com pitadas de bom humor.


Já morei no Upper East Side, em Los Angeles, Stars Hollow, Orange County, Haven, em um hospital, em um carro, em uma ilha e até mesmo em lugares escuros, profundos, onde a claridade não pode chegar. Já trabalhei pelas ruas de inúmeras cidades, viajei de avião, trem e em um táxi guiado por um motorista incrível – Ranjit -. Minha família é imensa, viciante e nunca para de crescer.


Xoxo. ;)

7 comentários

Luciana Mara disse...

Ei gêmea!
O texto ficou ótimo!
Tenho este mesmo pensamento com os livros...
Mas vc é sem noção de quantas vidas vive (se considerarmos o tanto de séries que vc assiste XD)
Bjins e ótimo fds!

Nataly Nunes disse...

Amei o seu post!
Também sou viciada em séries. Pssamos por coisas incríveis, temos amigos e uma vida maravilhosa através delas! ;)
Beijos!

Gih Pinheiro disse...

Ai que tudo esse post!
Lindo, adorei Kellen!
Adoro muitas das séries citadas, principalmente as de comédia!
Show

Beijos

http://kastmaker.blogspot.com/

jayane disse...

Supernatural e Pretty Little Liars são um dos meus preferidos que amo tanto.

Ana Ferreira disse...

Olá, Kellen! Como vai?
Gostei imensamente do seu texto, de verdade.
Ainda que eu apenas acompanhe uma série no momento e tenha acompanhado essa e mais outra em toda a minha vida (oi? kkk), compreendo o sentimento de estar aguardando um novo episódio, de deixar de lado o mundo real para conhecer outros problemas, outras personagens. Namorar o Toby lindo hahaha, apaixonar-se pelo Ezra, temer a -A e suas armadilhas, querer ser amiga da Spencer, da Aria, da Hanna, da Emily... Ser eterna devota de Clark Kent e Lois Lane, apesar das 8 temporadas incansáveis de Lana Lang hahaha
As séries têm o mesmo poder dos livros, creio eu. Tragar-nos aos seus mundos paralelos que, afinal, também se tornam nossos.

Beijinhos,
Ana - Na Parede do Quarto

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Sou apaixonada por séries também...é uma fuga né? Mas uma fuga boa...porque sempre voltamos para o mundo real, o problema é quando não saímos mais do mundo das séries...eu se pudesse assistiria todos os dias um episodio, mas falta tempo...adorei o post!!

Mariana Renz disse...

amo sérieeeeeeeees!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Últimos livros lidos