O Silmarillion - J. R. R. Tolkien

Título original: The Silmarillion
Autor: J. R. R. Tolkien
Editora: WMF Martins Fontes
Páginas: 460

"E dizem os eldar que na água ainda existe o eco da Música dos Anuir mais do que em qualquer outra substância na Terra; e muitos dos Filhos de Ilúvatar escutam, ainda insaciados, as vozes do Oceano, sem contudo saber porque o fazem."


Este livro de Tolkien não foi terminado enquanto ele era vivo, mas, sim, 4 anos após a sua morte, por seu filho, Christopher Tolkien, e publicado pela primeira vez pela Harper Collins, em 1992.

Tolkien começou seus trabalhos sobre a Terra Média em 1917 e assim continuou até sua morte em 1973. A edição brochura tem 480 páginas.

O Silmarillion nos traz a origem da Terra Média, que é o cenário de O Hobbit e de O Senhor dos Anéis. É um conto dos Dias Antigos, quando Morgoth, o primeiro senhor da escuridão, lá se refugiou e permaneceu reinando em maldade até que os altos-elfos o venceram na última batalha para reaverem as Silmarils, joias que continham a pura luz de Valinor.  

Tolkien criou uma mitologia muito convincente neste livro. As muitas referências contidas em O Senhor dos Anéis aos Dias Antigos são explicadas aqui. Lembrando, é claro, que não devemos isso apenas a Tolkien, mas também a seu filho, que foi quem juntou todos os escritos do pai referentes aos Dias Antigos e colocou-os num livro só, sob o título de O Silmarillion.

A leitura não é fácil, mas vale muito a pena! A escrita é bem diferente da usada em O Hobbit e em O Senhor dos Anéis, estas últimas sendo mais como um livro de histórias mesmo.

A beleza lugares descritos é magnífica e os relatos são repletos de lindas histórias sobre vários personagens e suas linhagens, sendo a história de Beren e Luthien a mais linda de todas.

A Terra-Média tem sua própria história, onde transparece o amor de Tolkien pelas mitologias grega, romana e nórdica. Há amor, traição, amizade e poder no livro, e aos personagens que aparecem em O Hobbit e em O Senhor dos Anéis é dada uma história que nos faz querer ler esses livros novamente – para quem, assim como eu, já os leu – sob uma nova perspectiva, muito mais rica.

Por isso eu digo que a leitura deste livro será mais proveitosa ser feita depois da leitura desses outros dois livros. A criação da Tera-Média e a história dos Elfos, Orcs, Sauron, Gandalf e outros é muito bem explicada.

O Silmarillion exibe a profundidade e o brilhantismo da imaginação de Tolkien, trazendo ainda a árvore genealógica das famílias dos personagens e um glossário ensinando a pronúncia e o significado dos nomes que aparecem ao longo da narrativa.

A grandeza de Tolkien se revela a cada página que viramos, e isso não é exagero. Ele mudou o conceito de Fantasia para sempre quando escreveu O Senhor dos Anéis. Seus leitores – eu, inclusive – começaram a esperar o mesmo nível nas criações de outros autores, coisa na qual pouquíssimos tiveram sucesso e muitos falharam.

Uma coisa que ficou muito clara pra mim é a analogia ao Gênesis no livro, principalmente nos primeiros capítulos, onde Ilúvatar é, inegavelmente, o Deus cristão, o que eu achei fantástico.

Concluindo, se você que lê este post ainda não leu nenhuma das obras de Tolkien, leia primeiro O Hobbit e depois O Senhor dos Anéis. (E aqui eu abro um parêntesis para confessar que eu não gostei muito do livro O Hobbit – que é uma história infantil que Tolkien escreveu para seus filhos. Achei um livro “Ok” e, se querem saber, gostei muito mais dos filmes, que, aliás, trazem muitos trechos de O Silmarillion em suas cenas).

Se depois de ler esses dois livros, você se encontrar totalmente cativado – como acontece com quase todos os leitores - , aí então você poderá ler O Silmarillion, pois ele lhe dará informações extra e responder suas perguntas formuladas durante a leitura dos livros anteriores, tais como “Quem é Gandalf?”; “Quem é Sauron?”; “De onde vieram os Orcs e para onde estão indo os Elfos?”; “Qual a origem de Aragorn, filho de Arathorn, e o mais maravilhoso dos personagens?”tá, esta última pergunta pode ser só minha.

Enfim, se joguem na leitura das obras de Tolkien sem medo e mudem para sempre a sua visão de Fantasia, deixando de se contentar com a fantasia rasa que encontramos por aí aos montes atualmente.





Outlander: A cruz de fogo - parte 1 - Diana Gabaldon

Título original: Outlander: the fiery cross
Autora: Diana Gabaldon
Editora: Arqueiro
Série: Outlander - livro 4 (parte 1)
Páginas: 720


"Ele não tinha medo de morrer com ela, queimado ou de qualquer outro modo - mas de viver sem ela."

ATENÇÃO: Esta resenha pode conter spoilers para quem não leu os livros anteriores.



A Cruz de Fogo começa exatamente onde terminou o livro anterior, Os tambores de outono – parte 2. Claire e Jamie estão vivendo seu período de “felizes para sempre” enquanto Brianna e Roger tentam lidar com o casamento e o novo mundo/época em que se encontram.
Stephen Bonnet, como de costume, continua estuprando e roubando todas as mulheres e coisas nas quais ele consegue colocar suas mãos – o que não deve continuar por muito mais tempo se depender de Jamie, que vem o caçando já há algum tempo. Brianna, por sua vez, ainda está tentado esquecer da experiência traumatizante vivida com o elemento, enquanto tenta ser boa mãe e boa esposa.
Jamie finalmente parece ter sossegado e domado seus demônios, apesar de ainda lidar com as escolhas que fez em sua vida. Claire continua sua vida de médica/bruxa/curandeira aqui e ali enquanto AINDA, vez ou outra, se pega pensando em Frank e sentindo sua falta e/ou lamentando pelo que fez com ele.
Uma outra coisa que assombra a vida deles é a iminente Revolução Americana, que está para acontecer dentro de 4 ou 5 anos. Infelizmente Claire não sabe muita coisa a respeito, além do fato de ter sido uma revolução muito sangrenta e que milhares de pessoas foram mortas de ambos os lados. Assim, devagar, eles já buscam ajustar suas vidas de modo que estejam preparados para quando isso acontecer.
Enquanto Jamie tenta fazer prosperar a Cordilheira dos Frasers – ao mesmo tempo em que se prepara para a Revolução –, ele recebe uma carta ele recebe uma carta de seu mais ou menos amigo e governador da Carolina do Norte, na qual ele diz a Jamie que ele deverá formar uma milícia para confrontar alguns rebeldes em outra cidade. Com isso, os ânimos dos Frasers ficam abalados, pois, apesar de a Revolução sobre a qual Claire tem algumas informações só estoure dali a 4 anos, este pode muito bem ser o início de tudo. Afinal, nem tudo é contado nos livros de história. E isso só preocupa mais ainda Claire e sua família.
Preocupado, Jamie agora tenta encontrar um meio de convencer seus arrendatários a entrarem para a milícia e lutarem numa possível guerra que não é deles.
A Cruz de Fogo é uma história envolvente sobre o momento atual dos Frasers e a intrincada teia de suas vidas e sua família; é uma história de devoção e de esperança, lealdade e amizade, e união.



Quem vem lendo minhas resenhas sobre esta série, sabe o quão frustrada eu fiquei com os dois últimos livros. A narrativa estava maçante, Brianna e Roger estavam insuportáveis e até mesmo Jamie estava me irritando.
No entanto, neste novo livro, é muito nítido o desenvolvimento de Brianna e Roger. Eles agora estão determinados a fazer o relacionamento dar certo, estão muito envolvidos com a família e com todos os afazeres do dia-a-dia, e é muito legal ver a adaptação deles à nova época.
Jamie também está muito mais centrado neste livro. Não faz nada por impulso, como era de seu costume, e todas as suas ações são muito bem pensadas. Seu senso de humor continua maravilhoso e eu dei altas risadas com seus diálogos.  
Duas coisas bem legais que acontecem no livro: 1) a narrativa agora é feita sob os pontos de vista de Claire, Jamie, Brianna e Roger. Os capítulos alternam entre as perspectivas deles.
2) Claire está muito mais envolvida com a prática da medicina e é possível ao leitor acompanhar muito mais casos clínicos com mais detalhes. É muito legal ter uma noção melhor de como as doenças mais simples poderiam ser tão sérias naquela época e quais eram os tipos de tratamento. Sem contar que Claire começou até a desenvolver sua própria Penicilina!
Agora, uma coisa que me incomoda muito é que, no quinto livro da série, Claire ainda fica se lamentando a respeito de Frank. Gente, já passou da hora dessa mulher superar isso, vocês não acham? É um saco quando ela começa a se lembrar dele e ficar meio chateada por tudo o que houve.
Enfim, posso dizer que me apaixonei novamente pela série e que a trama neste livro está muito melhor. Tem ação, muitos momentos dramáticos, vários momentos engraçados e ainda um assassinato a ser desvendado.

Se você acompanha a série, corra para ler esta sequência. E se ainda não começou, comece urgentemente, porque a série é sensacional!



Livros da série lidos até agora:
7. A cruz de fogo - parte 1

[SORTEIO] "O evangelho de sangue" + "Sangue inocente"


Hey, turma, tudo certinho?
Aqui estou eu com mais um sorteio pra vocês.
Desta vez o(a) ganhador(a) receberá 2 livros em casa! São os 2 livros da trilogia A Ordem dos Sanguíneos. 
Eu já publiquei as duas resenhas aqui no blog e quero dizer que adorei os livros! São eles O Evangelho de Sangue e Sangue Inocente (para ler a resenha dos livros, basta clicar em cada título).

A trama tem mistério, aventura, viagens, segredos apocalípticos e muita ação! Então, quem ganhar irá receber dois super livros em casa!

Vamos às regras?


















Regras

1) Ser seguidor do  O Blog da San  (clique em SEGUIR ao lado direito da página). É necessário ter uma conta de e-mail no Gmail para participar. Todo mundo tem. :) 



2) Ter um endereço de entrega no Brasil.


ATENÇÃOÉ obrigatório seguir o blog. Depois de preencher esse item no Rafflecopter, as demais opções serão liberadas.

Você pode fazer o login com sua conta do Facebook ou preencher com seu nome e e-mail clicando em "use your name and e-mail".

Depois clique nos DONE de cada opção para validar sua participação.

Vocês podem se inscrever até dia 22 de Abril de 2017.  O resultado sairá aqui no blog, no dia 23. Dá pra participarem bastante. :)

Boa sorte a todos!




a Rafflecopter giveaway

Leituras de Fevereiro



E aí, turma? Tudo em ordem?
Aqui estou eu para falar das minhas leituras de Fevereiro (sim, só agora).

Acho que uma das piores coisas de não se estar com a saúde 100% é o fato de a gente ficar sem ânimo para fazer as coisas.

Recentemente passei por uma cirurgia de coluna e agora estou me recuperando - o que não é nada fácil - e sofrendo com as dores pós-cirurgia e alguns outros problemas relativos a isso que ainda não foram sanados. Resumindo: eu ainda lido muito com dores.

Por esse motivo, muitas vezes eu fico bem chata, de saco cheio com tudo e não quero ler, não quero postar no blog, nem fazer nada. Às vezes passo o dia deitada, vendo TV, porque não consigo fazer outra coisa. A dor não deixa.

Então, com todas essas coisas, acabou que em Fevereiro eu li apenas 3 livros (e a coisa não está muito diferente no mês de Março). No mês de Janeiro eu fiz um vídeo, mas pra este mês eu achei que nem valeria o esforço, já que foram só 3.

Mesmo assim, gostei bastante do que li e vou contar aqui pra vocês quais foram.



O Evangelho de Sangue e Sangue Inocente fazem parte de uma trilogia. Quando eu pedi os livros, não imaginava que me depararia com uma história sobre vampiros - strigoi, para ser mais específica - e que eu fosse gostar tanto! Eu ando bem enjoada de vampiros, então tinha muito tempo que não lia nada do gênero. Pedi esses livros porque achei que a história era do tipo "Indiana Jones", sabem? E não que não seja, porque é! Mas também tem esse elemento a mais na trama. E não é que ficou legal?
Os autores foram tão criativos e originais no desenvolvimento do enredo que eu não tenho absolutamente nada para reclamar. 

Aqui vão as resenhas, se alguém quiser dar uma olhada:





Este livro é sobre 6 pessoas que resolvem criar um clube de leitura para discutir entre si apenas os livros de Jane Austen. Eu já conhecia a história - e gostava bastante - por causa do filme (antigo já) que foi baseado no livro e que eu já vi algumas vezes, mas, mesmo já sabendo da trama, foi muito divertida a leitura. Karen Joy Fowler escreve com uma narrativa tão leve e divertida que é impossível não se deixar levar. Recomendo tanto o livro quanto o filme!

Aqui está a resenha: O clube de leitura de Jane Austen

Bem, por ora é isso. 
Não deixem de acompanhar o blog. Domingo tem sorteio novo por aqui. :)

Até mais!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Últimos livros lidos