[SORTEIO] Lembrança, de Meg Cabot - 7º livro da série A Mediadora




Bom dia, gente!
Como o último sorteio do blog já finalizou, já trago outro pra vocês, pra ninguém ficar triste. :)
O livro sorteado da vez é Lembrança, de Meg Cabot. Esse é o sétimo livro da série A Mediadora. Se você ainda não leu a resenha, pode clicar aqui.
Vamos às regras?

Regras

1) Ser seguidor do  O Blog da San  (clique em PARTICIPAR DESTE SITE ao lado direito da página). É necessário ter uma conta de e-mail no Gmail para participar. Todo mundo tem. :) 

2) Ter um endereço de entrega no Brasil.


ATENÇÃOÉ obrigatório seguir o blog. Depois de preencher esse item no Rafflecopter, as demais opções serão liberadas.

Você pode fazer o login com sua conta do Facebook ou preencher com seu nome e e-mail clicando em "use your name and e-mail".

Depois clique nos BOTÕES DO IT de cada opção para validar sua participação.

A promoção vai até dia 17 de Setembro de 2016, então tem muito tempo para vocês participarem. :)

Boa sorte a todos!



a Rafflecopter giveaway

RESULTADO DO SORTEIO "O amor nos tempos de #likes"


Bom dia, turma, tudo bem?
Sim, acabei de fazer o sorteio e vou postar aqui pra vocês.
Mas antes, quero deixar aqui o meu MUITO OBRIGADA por todas as participações!
Foram muitas e me deixaram muito, muito feliz!
Isso me incentiva muito a continuar com o blog e continuar a trazer sorteios pra vocês. Me faz muito bem saber que, de alguma maneira, eu deixo alguém mais feliz por ganhar um livro. :)
Obrigada mesmo!

Bem, chega de enrolar. Quem ganhou o livro foi:



Parabéns!

Você tem 3 dias para enviar um e-mail com seus dados para

oblogdasan@hotmail.com


E pra quem não conseguiu desta vez, não fique triste, pois já tem outro sorteio no ar!


CLIQUE AQUI
e participe!


Beijo grande pra todos e uma ótima semana!

Lembrança - Meg Cabot

Título original: Remembrance 
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Série: A mediadora - livro 7
Páginas: 422


"Quero ficar com Jesse porque ele me faz sentir uma pessoa melhor do que acho que sou na verdade."

ATENÇÃO: Esta resenha contém spoilers para quem não leu os livros anteriores da série.



Desde o primeiro capítulo do livro, estava bem claro que encontraríamos a mesma velha Suzannah dos livros anteriores.

Agora, noiva de Jesse e vivendo a vida adulta, Suze tem seu primeiro emprego na administração de sua antiga escola, a Missão Junipero Serra, o que já nos mostra que o cenário da série também não sofreu nenhuma mudança drástica.  

Todos os antigos personagens também estão presentes: Padre D, Irmã Ernestine, os irmãos postiços de Suze, Gina, Cee Cee e todo o resto. É como reencontrar velhos amigos.

E, é claro, tem Paul Slater – sim, ele está de volta. Mais determinado do que nunca a ganhar o coração de Suze. Para tanto, ele chega ao ponto de chantageá-la: ou ela se envolve com ele sexualmente, ou ele demolirá a antiga casa de Suze – da qual agora ele é o proprietário – e Jesse, que terá seu local de descanso destruído, acabará se transformando num demônio e Suze o perderá para sempre.

Apesar de Paul não ser o personagem mais querido da série, a presença dele no livro acaba por trazer um pouco mais de emoção ao livro.

Já as coisas entre Suze e Jesse são sempre doces. Jesse ainda se agarra às suas crenças de não fazer sexo antes do casamento e Suze lamenta que acabará criando mais teia de aranha do que o vestido de noiva que ela tem pendurado em seu closet.

Jesse está trabalhando como um médico residente e está esperando abrir seu próprio consultório em breve. Embora isso pareça um pouco adulto e chato demais, não é. Ele e Suzannah ainda são os mesmos de antes, sempre alternando entre humor e fofura, embora Jesse agora tenha um certo problema para lidar com sua raiva e violência no que se refere a Paul.

Suze, por outro lado, está mais velha apenas na idade, pois não amadureceu em nada, o que não é muito animador já que ela tem a mesma personalidade da adolescência e está num cargo em que, supostamente, ela deveria ser a CONSELHEIRA da escola.
Pra mim, o desenvolvimento da personagem dela deixou a desejar.

Tudo isso de lado, o mistério sobrenatural do livro é bem bacana e trouxe elementos mais maduros à série. Há boas reviravoltas, boas surpresas e lugares nostálgicos também.

Assim, para aqueles que temiam que esse livro fosse estragar a série A Mediadora, podem ficar tranquilos, pois não estragou em nada e, salvo pelo fato da imaturidade de Suzannah, a história foi uma grande e ótima surpresa. Podem ler sem medo!





Exorcismo - Thomas B. Allen

Título original: Possessed
Autor: Thomas B. Allen
Editora: Darkside
Páginas: 254


“Robbie começou a urinar e a soltar gases. O fedor era insuportável. Alguém abriu uma janela. O garoto gritava e dava gargalhadas diabólicas. Essa foi a palavra que vinha de imediato à mente daqueles que as ouviam: diabólicas.”



Todos conhecemos a história do filme O Exorcista, onde a joven Regan MacNeil, de 12 anos, é possuída pelo demônio e tem que ser submetida a várias sessões de exorcismo para poder ficar livre de todos os tormentos que sofria.



O que a maioria não sabia é que o filme foi baseado em fatos reais e que, na verdade, a vítima de possessão foi um garoto de 14 anos. E é exatamente sobre a história desse garoto que este livro, Exorcismo, vai falar.

Thomas B. Allen investigou essa história por muito tempo, sempre procurando uma prova de que ela realmente aconteceu e, o mais importante, com quem ela aconteceu. Ele realizou uma série de entrevistas, até chegar ao padre Walter Halloran, que foi quem lhe entregou uma cópia do diário escrito por outro padre, Raymond J. Bishop, um dos padres que acompanharam o caso de Robbie Mannheim – nome fictício usado para proteger a verdadeira identidade da vítima.

Em posse do diário, Thomas B. Allen começa a escrever seu livro, onde conta com detalhes tudo o que ele leu, desde os primeiros dias em que Robbie, incentivado por sua tia Harriet, começa a brincar com a tábua Ouija – um tabuleiro usado para se comunicar com espíritos –, até o começo de suas crises e, mais tarde, o contato com o padre Bowdern e o início do primeiro de muitos rituais de exorcismo para libertar Robbie.

A história é dividida em 14 capítulos e é narrada de forma progressiva. Na primeira parte, o autor conta toda a história de Robbie como se fosse um romance. Na segunda parte, há a cópia transcrita do diário escrito pelo padre Raymond J. Bishop, com as datas exatas e tudo o que aconteceu nesses dias. Aí o texto já não tem mais a estrutura de romance, mas de registros.

No caso de Robbie, a possessão aconteceu por causa de suas brincadeiras com a tábua Ouija que, para os entendidos do assunto, é uma das principais portas de entrada para o mal.

Tábua Ouija

Depois da morte de sua tia, o garoto começa a ouvir sons e a se comportar de maneira estranha.

Quando sua família foi em busca de ajuda, a primeira hipótese era a de que estavam lidando com um simples caso de Poltergeist – fantasma –, até que, além de objetos e móveis se movendo sozinhos no quarto de Robbie, marcas e arranhões começaram a aparecer por todo o seu corpo e ele perdeu completamente o controle de si, fazendo e dizendo coisas terríveis.

Passaram-se muitos dias – e muitos padres – até todos se convencerem que, de fato, Robbie estava possuído e necessitava de um exorcismo.

O problema é que os padres, por mais que estivessem estudado sobre possessões, não estavam preparados para a magnitude do mal que iriam enfrentar. Quanto mais o tempo passava, mais a criatura demoníaca que tomava conta de Robbie parecia ganhar força e zombava deles.

“Um exorcista tem que tocar o mal, respirá-lo, se concentrar nele. Um padre se vê como um ser vivo trabalhando ao lado de Deus. Para agir contra o diabo, um exorcista penetra nas sombras profundas e tateantes do mal. Quando ele aparece, os demônios focam o mal nele. O padre exorcista, apesar de se considerar um agente do bem auxiliado pelo Deus todo-poderoso, se vê ao mesmo tempo como um mero humano sendo posto à prova contra um inimigo imponente e com longa experiência em perpetrar a maldade”.


Foram necessárias várias semanas de esforço da equipe liderada pelo padre Bowdern para que, finalmente, conseguissem expulsar o mal de Robbie e deixar o garoto em paz.



Como eu já mencionei na resenha, este livro não é um romance baseado em fatos reais. Na verdade, é um dossiê repleto de detalhes sobre a possessão de um garoto ocorrida no ano de 1949.

Não é uma história de terror, mas devo dizer que, para quem tem medo desse tipo de livro/filme/assunto, talvez seja melhor manter distância, pois os registros do diário são bem detalhistas quanto ao comportamento de Robbie, detalhando tudo o que ele diz e faz. Sinceramente, não é algo muito bonito de se ler, dá até uma certa angústia, mas obviamente que minha curiosidade foi maior e fui guerreira para chegar ao fim do livro... rs.

Enfim, se você é uma pessoa curiosa e, como eu, tem interesse nesse tipo de assunto, Exorcismo é um livro mais que recomendado. 





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Últimos livros lidos