A VIDA EM TONS DE CINZA por Ruta Sepetys




Título original: Between the Shades of Gray
Autora: Ruta Sepetys
Editora: Arqueiro
Páginas: 240
Sinopse: 1941. A União Soviética anexa os países bálticos. Desde então, a história de horror vivida por aqueles povos raras vezes foi contada. Aos 15 anos, Lina Vilkas vê seu sonho de estudar artes e sua liberdade serem brutalmente ceifados. Filha de um professor universitário lituano, ela é deportada com a mãe e o irmão para um campo de trabalho forçado na Sibéria. Lá, passam fome, enfrentam doenças, são humilhados e violentados. Mas a família de Lina se mostra mais forte do que tudo isso. Sua mãe, que sabe falar russo, se revela uma grande líder, sempre demonstrando uma infinita compaixão por todos e conseguindo fazer com que as pessoas trabalhem em equipe. No entanto, aquele ainda não seria seu destino final. Mais tarde, Lina e sua família, assim como muitas outras pessoas com quem estabeleceram laços estreitos, são mandadas, literalmente, para o fim do mundo: um lugar perdido no Círculo Polar Ártico, onde o frio é implacável, a noite dura 180 dias e o amor e a esperança talvez não sejam suficientes para mantê-los vivos. A vida em tons de cinza conta, a partir da visão de poucos personagens, a dura realidade enfrentada por milhões de pessoas durante o domínio de Stalin. Ruta Sepetys revela a história de um povo que foi anulado e que, por 50 anos, teve que se manter em silêncio, sob a ameaça de terríveis represálias. 
Não é novidade pra ninguém aqui sobre o quanto me atrai o assunto sobre a Segunda Guerra, campos de concentração, holocausto e afins. Me emociono muito com as histórias de sobreviventes e é impossível eu terminar de ler esses livros sem chorar.

Todos sabemos do terror causado por Hitler nos anos entre 1939 e 1945. Todos aprendemos sobre isso na escola e tivemos conhecimento sobre o horrível massacre sofrido pelo povo judeu. Porém, na mesma época, Josef Stalin repetia as mesmas atrocidades nos países vizinhos à Rússia. Ouvimos falar muito pouco sobre isso, mas estima-se que Satlin matou cerca de 20 milhões de pessoas!

A Vida em Tons de Cinza conta a história de Lina Vilkas, uma adolescente lituana de 15 anos que tem seus sonhos interrompidos pela tirania de um lunático. Ela mora com seus pais, Elena e Kostas, e seu irmãozinho de 10 anos, Jonas, na cidade de Kaunas e estava prestes a entrar para a melhor escola de Artes da capital, acabara de ser admitida devido ao seu excepcional talento artístico. Porém, na noite de 14 de Junho de 1941, Lina e sua família têm suas vidas mudadas para sempre.

Por toda a região do Báltico (Lituânia, Letônia, Eslovênia, Finlândia), a NKVD – polícia secreta soviética e atual KGB – está invadindo casas e deportando pessoas. Lina, sua mãe e seu irmão e outras centenas de milhares de pessoas são jogados em trens usados para transportes de animais, em condições completamente desumanas e levados para um campo de trabalho em Altai, região norte da China. Lá, eles sofrem todo tipo de crueldades: fome, terror psicológico, escravidão, humilhação, doenças e mortes. Porém, em meio a toda essa desgraça, ainda conseguem viver com esperança, unidos pelo amor e pela compaixão, e até têm alguns momentos nos quais conseguem se esquecer de sua realidade e sorrir por algum motivo. Lina é uma dessas pessoas que, mesmo machucada, faminta e exausta, encontra em Andrius o primeiro amor e em sua família a esperança de reencontrar seu pai, cujo paradeiro ninguém sabe.

“Era sob a mira de uma arma que eu abraçava todas as esperanças e me permitia desejar do fundo do coração”.


Os meses vão passando e o sofrimento não tem fim. Os deportados, famintos, são obrigados a buscarem comida nos restos de lixo dos oficiais, pois recebem apenas 300 gramas de pão por dia para se alimentar. Banho nunca mais. Durante todo esse período, Lina vai registrando tudo o que lhes acontece em desenhos e textos, escondendo-os onde consegue, para que sejam descobertos mais tarde e que a posteridade saiba o que sofreram.

Então, quando eles acreditavam que a coisa não poderia ficar pior, grande parte deles são listados para serem transferidos para outro campo. De Altai, na China, Lina e sua família são levados para o Ártico, na Sibéria, onde seria absolutamente impossível que alguém conseguisse sobreviver. Mas alguns sobreviveram. Heroicamente.

A Vida em Tons de Cinza nos conta a história de um povo que nos ensina que a arma mais poderosa que existe é o amor, seja por um amigo, uma nação, por Deus ou até mesmo pelo inimigo. Um livro emocionante, uma história que deve ser conhecida por todo o mundo.

Abaixo, um vídeo no qual a autora dá detalhes sobre a Guerra e como escreveu o livro.





Super recomendado!

16 comentários

Luciana Mara disse...

Ei gêmea!

Pela capa, eu não dava nada pelo livro.
Lembrei de O diário de Anne Frank quando li a sinopse.
Dúvidas de que quero ler (e me emocionar)? Não, né?!
Bjins

Yago Dalben disse...

Hey,

A capa desse livro é bem bonita! Quero muito lê-lo *-* A resenha ficou muito boa :D

Abraços,
Yago.

Débora Lauton disse...

Fiquei muito interessada nesse livro, parece ser muito bonito... adoro histórias dessa época, me fazem pensar em tudo que ocorreu e em como temos sorte por termos nascido só agora...

beijos,
Dé...

Camila Monteiro disse...

Carambaaa que livro! É o estilo que eu curto! Já tá na estante!!! Beeeeeijos


Ahhh passa lá no blog, tá rolando uma promoção legal, participa.
Beijao

EDER RIBEIRO disse...

San, este eu tenho na minha estante, está na fila para ser lido... Rsssssss. Bjos.

Gih Pinheiro disse...

Aiin chuchu!
Parece ser super emocionante!
Sou muito sensível quanto a este tipo de livro, mas acho ótimo!

Amei a resenha!

Beijos

http://kastmaker.blogspot.com/

Niii disse...

Nossa! Deve ser maravilhoso!
eu sou super curiosa pelo contexto histórico!

Julia Cedro disse...

Eu gostei da capa...
Adoro livros que falam dessa época, não sei porque...
Parece ser bom!

Beijos,
Sonhos de Garota

Cacá SS disse...

Oi San,
Impossível não se emocionar com livros com esse tema, né?! Impossível também não se revoltar com essas pessoas que se achavam superiores aos outros e os tratavam de forma tão cruel. É uma parte triste da História, mas inportante todos conhecerem.
Beijos

Cacá
*Meus Discos e Livros e Tudo o Mais*

Marco Antonio disse...

Boa noite Sandra.
Muito boa resenha e eu super curioso em relação a este livro.
Abçs.

http://devoradordeletras.blogspot.com/

Clícia Godoy disse...

Oi San!

Estou louca paara ler esse livro!
Sua resenha só me despertou mais!
=)

E me fala, que capa é essa?
OMG

Bjinhos
Psiu!
Silêncio Que Eu To Lendo

Byzinha disse...

Estou LOUCA pra ler esse livro faz tempo!

Amanda disse...

Eu gosto da capa, mas a estória em si pra mim não deve ser boa. Vejo várias resenha por aí e nada de me convencer a ler. Acho que nem vou querer. Não gosto muito de livro assim.

Beijos, Book and Cupcake

Kellen Baesso disse...

Nossa, adorei a trama do livro.
Apesar de muito triste, é daqueles livro que nos deixam uma lição. Estou mega curiosa e doida para ler.
Beijos

Nanda disse...

Ei San,

Ah eu tinha lido a resenha pelo reader, mas nem tinha vindo comentar por falta de tempo rs.
Eu amei a resenha, quero muito este livro ^^

bjos

Kelly Marques disse...

Oi Sanzinha!
Ando bem interessada em ler esse livro. Gosto da época em que ele se passa e a trma aparece mesmo ser bem emocionante :)
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Últimos livros lidos