A arte da manipulação

Abri meu guarda-roupa e fiquei analisando o conteúdo por 10 minutos.


E não! Não era porque eu estava em dúvida sobre o que vestiria, uma vez que a grana por aqui é escassa para investir em modelitos. Eu só estava tentando usar aquele sentido extra que nós mulheres temos para sentir onde estava meu único conjunto social, aquele que uso quando preciso fazer entrevista/ir à colação/aniversário de parente idoso.

Juro que na próxima encarnação passo duas vezes na fila de distribuição da característica 'organização de guarda-roupa'.

Felizmente, após o mapeamento mental dos itens jogados lá dentro, encontrei o que procurava: meu tailleur azul marinho. Os sapatos de salto altíssimo eu sequestrei do guarda-roupa da minha mãe (dois números maiores que o meu, lotei a ponta de algodão).

Foi só vestir, fazer um coque baixo, colocar brincos de pérolas, usar meus óculos de leitura e pegar emprestada a pasta que minha tia advogada usa e sair. Eu estava um poço de seriedade naquela roupa!

Dia de semana, horário atípico. Cheguei ao destino em pouquíssimos minutos. Era um prédio de quatro andares, ao lado de uma Lan House. Na verdade, eu não sei por que fui obrigada a ir àquele lugar. Minha mãe só informou que tinha agendado uma reunião para mim e que eu não poderia faltar. Pensei que pudesse ser um editor ou algo do gênero. Algum conhecido da minha mãe com quem ela tinha falado sobre a minha paixão por livros e meus dois capítulos iniciados de uma futura história.

Eu, em toda a minha elegância e requinte, entrei na sala de espera e disse à recepcionista que tinha horário agendado. Ela confirmou e me orientou a procurar a sala 4 do segundo andar. Assim que levantei os olhos, vi o nome da empresa: GABA. Com a minha mente fértil e mais um pouquinho da minha tão famosa intuição, saquei logo de cara! Aquilo era mesmo o que imaginei. Com certeza GABA era a abreviação de Grupo de Autores Brasileiros em Ascensão! Comemorei mentalmente.
Subi as escadas, abri a porta da sala 4 e ouvi:

- Bom dia e seja bem-vinda! Só esperávamos você!

Havia 15 pessoas sentadas em círculo e apenas um lugar vazio: o meu! Ele brilhava para mim! Imaginei que aqueles seriam meus futuros amigos escritores, que vários deles deveriam ter blogs literários, paixão por livros e que poderíamos trocar dicas sobre novas histórias. Eles estavam animados, já entrosados quando eu me sentei. Sorri para meus companheiros e relaxei. A certeza de ser a pessoa mais bem vestida daquele lugar me deixou confiante.
Aquela senhora com olhar bondoso que havia me dado as boas vindas começou a falar:

- Mais uma vez, caros colegas, é muito bom estarmos aqui reunidos. Hoje, temos mais uma integrante ao nosso grupo. Bem-vinda, Melissa! Vamos todos cumprimentá-la?

Então, a uma só voz, as 14 pessoas disseram:

- Bom dia, Melissa! Nós, do GABA, Grupo de Apoio aos Bookaholics Anônimos, vamos ajudá-la a superar seu vício.

Fiquei em choque! Vício? Que vício? Cadê a publicação do meu livro? Não sou viciada! Acho que ela, aquela senhora que nem é mais bondosa, leu no meu rosto minha indignação.

- Eu sei que a primeira fase é de negação – Ela afirmou – mas aos poucos você vai admitir, aceitar e querer corrigir seu problema.

“Problema? Que problema?”, eu pensei

- Seus familiares que te inscreveram no programa só querem seu bem. Eles só desejam que você pare com este vício descontrolado de comprar livros que nem sabe se vai ler... – ela continuou.

“Mas eu vou ler todos!”, pensei. “Aquele sobre gatos, que comprei em promoção, era para dar de presente para algum amigo (que futuramente irei conhecer) que gosta de gatos! Aquele outro, o sétimo da coleção, estava uma pechincha. Vai que alguém já tem os outros seis e quer ler o sétimo? Eu vou ter, mas falarei que não, afinal sou ciumenta e não quero emprestá-lo.”

- Estamos aqui, para te ensinar a fugir das ofertas tentadoras, Melissa. – a senhora prosseguiu – Você vai conseguir! Conte-nos o que você sente ao comprar.

Meio a contragosto, eu resolvi contar, só para ver se ela parava de pegar no meu pé.

- Eu sou cadastrada em várias lojas online e as ofertas sempre chegam por e-mail. Também tenho uma rede de contatos no twitter que me avisa das promoções. Quando vejo algo que eu quero em promoção, meu coração dispara, meus olhos brilham. Eu só penso que preciso daquele item. Minha vida depende dele! Sem ele, fico sem ar, sem rumo. Algumas vezes tenho que comprar vários para conseguir frete grátis, mas é uma economia como transporte! É uma benção!!! Nada como clicar em continuar, continuar até concluir a compra! Explode uma alegria louca dentro de mim.
E a espera? Acompanhar a entrega do pedido e aguardar a entrega do embrulho em casa é uma delícia. E quando abro o pacote? Dou aquela fungada nas páginas novas. Aquilo é perfume! Poderia ser vendido engarrafado! Então, guardo os novos exemplares na estante, pensando no dia que irei lê-los. Namoro-os todas as noites...

Termino meu relato e suspiro... Quando levanto o olhar e observo os outros participantes, vejo que eles estão com os olhos brilhando. Vejo o olhar comprador em cada um daqueles rostos.

Então, meu celular toca. Recebo minhas mentions do Twitter por sms. Todo meu estresse por aquela situação constrangedora, eu em um grupo de apoio, passou quando li as palavras mágicas: 
“Descontos progressivos de livros!”

Peguei minha pasta, levantei da cadeira, olhei para o grupo e comuniquei:


- Desculpem, mas deu a minha hora. Desconto progressivo de livros em todas as lojas online. Sabem como é, preciso ir...

Antes que eu me desse conta ou pudesse terminar a frase, quase fui atropelada na saída. Todos, inclusive a idosa que coordenava a reunião, haviam saído correndo da sala. Fiquei sem entender, até que cheguei à saída do prédio. Estavam todos na Lan House. Viva as compras!!!

Foi então que conclui, comemorei e pensei: “Missão cumprida! GABAfail*! Vai, mexe com que está quieto...”

*Procure a hashtag.

17 comentários

Marco Antonio disse...

Olá Sandra,
Muito legal este post..abraços!!

http://devoradordeletras.blogspot.com/

A. Déborah disse...

Adorei!! =)

Carol disse...

Isto realmente existe ou é uma piada?

Clícia Godoy disse...

#Chorei litros rindo aqui!

Adorei a crônica! Sério mesmo!

^^

Bjinhos
Psiu!
Silêncio Que Eu To Lendo

Gabriela Orlandin disse...

Adorei ler seu post! Isso existe mesmo, o GABA? Nunca ouvi falar, rsrs. Me diverti muito com seu relato e me identifiquei totalmente com o que vc disse sobre a paixão de comprar os livros - continuar, continuar, comprar, esperar a entrega, cheirar os livros, guardá-los na estante e namorá-los. E tem coisa melhor? Os meus livros são como filhotes pra mim ^^
Beijos.

✿ Nessinha✿ disse...

Nossa, que legal, adorei!! principalmente o inicio pois sou assim, demoro para achar uma roupa, e troco varias vezes ate achar o que eu quero!! bjus
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

Cíntia Mara disse...

No início, pensei que fosse um texto sobre como arrumar as malas pra passar três dias fora =P (Caso ainda não tenha notado, eu vou falar disso mais ou menos pelo resto da vida, haha)

Rachei de rir com o livro sobre gatos. Eu já comprei livro sem saber se ia ler, mas troquei no Skoob. Agora estou na situação oposta, quero ler todos ao mesmo tempo. E quero continuar comprando, mas resistirei bravamente. Já consegui outras vezes, por que haveria de falhar nesta?

Pra mim, a melhor parte é chegar em casa, entrar pela porta da cozinha, ir direto pra sala e encontrar um pacote na minha mesa. Às vezes eu até prolongo o suspense e vou fazer outras coisas antes de abrir #louca

Totalmente Becky Bloom esse post, né? Hauhauha muito bom!

Nanda disse...

iusheiuhasieuhase, nooooossa, adorei o texto! como eu ri aqui! Me vi perfeitamente na pele da Melissa, kkkkk. Não duvido que meu pai faça algo assim cmg daqui a um tempo D: GHAUSIHDOIAHUSE

Beijos, nanda
www.julguepelacapa.blogspot.com

Gys disse...

Ah, ah, ah!! Demais!! Porque será que quem gosta de ler está sempre com um monte de livros na fila? A gente sabe que não vai conseguir ler aquilo tudo tão cedo, mas não consegue parar! Acho que é uma compulsão mesmo.... Precisamos de tratamento, rsrsrs. Será que tem um livro pra isso?

Bjs
Gys
www.saladaideias.blogspot.com

Kellen Baesso disse...

Hahahaha. Arrasou, gêmea!!
Amei o post e a apresentação oficial do nosso grupo! =p

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Ameiii o texto!!! Porque será que me identifiquei com ele? hehehe. bjus

Charlene disse...

EU sou a favor da Luciana Mara escrever um livro de contos! Eu morro de ri desses posts rsss

Parabéns!!

Bruna disse...

ahuahuhau san adorei o texto e a siituação do grupo hahahah
hilária!

Nanda disse...

Lu,

Como que eu não tinha visto isso ainda??? Vi vcs falando de Gaba no twitter e nem me toquei hauhauahau

Amei perfeito rsrs

bjos

Caline disse...

Eu já disse a Lu milhares de vezes que ela tem talento de sobra pra escrever chick-lit, mas ela não me dá ouvidos. Esse tezto ficou ótimo, muito engraçado. Só agora eu finalmente entendi esse tal de GABA.

Bjs.
Caline
Mundo de Papel

Carissinha disse...

Lu, minha filha, você tem um talento incrível!

Cada vez que leio uma de suas crônicas, viro mais sua fã. Você escreve com um humor ótimo.

E qualquer semelhança é mera coincidência, rs.

Débora Lauton disse...

kkkk... Ufa, ainda bem que não sou a única... a melhor coisa desse mundo virtual é encontrar pessoas iguaizinhas a gente nos 4 cantos do planeta e então a gente percebe que é normal...rss
Ou melhor, que ninguém é...
Eu estava resistindo bravamente ultimamente, mas foi só ganhar um vale desconto de 30 reais na saraiva no mês passado que me descontrolei... isso pq pra ter o desconto tinha que comprar mais de 100 reais... aí já viu, né??
E sabe o que aconteceu esse mês??
Ganhei outro... fala sério, esse pessoal é altamente treinado em técnicas de manipulação e indução as compras... não resisti, again!!
beijos,
Dé...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Últimos livros lidos