A HOSPEDEIRA - Stephenie Meyer


Título original: The Host
Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Páginas: 560
Classificação: 
Sinopse: Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.


A Terra já não é mais a mesma. Os humanos estão quase extintos, dominados por alienígenas que resolveram melhorar as coisas por aqui, vivendo pacificamente, sem violências, sem doenças. Seria um paraíso se, para tanto, eles não precisassem sobrepujar a alma humana.

Sim, esses alienígenas capturam os humanos e “transplantam” para seus corpos uma nova alma da espécie deles. Essa alma terá acesso a todas as memórias e sentimentos da alma antiga, mas não será ela. Poderá escolher entre continuar levando a mesma vida, com o mesmo nome, ou ter nova vida e novo nome dali pra frente. A forma física do ser humano/alienígena não muda em nada, com exceção dos olhos, que adquirem um círculo prateado ao redor da pupila.
Aos que se opõem a essa tomada alienígena, eles os chamam rebeldes. Já os humanos, por sua vez, recusam-se a referir-se aos alienígenas como almas e os chamam de parasitas ou lacraias.

Melanie Stryder tinha 17 anos e era uma remanescente, uma rebelde. Não se deixou capturar, não queria perder sua humanidade. Vivia sempre em fuga com seu irmão caçula, Jamie. Sobreviviam roubando alimentos e se escondendo em cavernas e lugares ermos.

Numa noite, ao invadir uma casa procurando por comida e água, Melanie, para sua surpresa, encontra outro rebelde: Jared. Um homem mais velho que ela, de 36 anos, muito experiente em se esconder e sobreviver. Ambos ficam tão felizes por saberem que não estavam sozinhos, que decidiram continuar sua fuga juntos.

Jamie adora Jared desde o primeiro momento e ficam muito amigos. E Melanie... Bem, Melanie se apaixona. E é correspondida.

Meses depois, com o romance já engatado e os laços solidificados, Melanie descobre que uma de suas primas ainda é humana e sai à sua procura, deixando Jared responsável por Jamie. Só que Melanie é capturada e levada a um tipo de estação de cura, sendo deixada aos cuidados do curandeiro Ford Águas Profundas. Depois de ela ser sedada, começa o processo de inserção e uma nova alma é escolhida para habitar seu corpo. Seu nome é Peregrina – sim, cada alma tem seu próprio nome.

Quando Peregrina acorda, há uma Buscadora (uma espécie de rastreador que busca outros rebeldes para serem dominados) a seu lado, esperando ansiosamente para que ela acesse as memórias de Melanie e descubra onde estão os outros rebeldes. No entanto, por mais que ela tente, não consegue fazê-lo. Melanie, sabe-se lá como, cria uma barreira e a impede, permitindo que Peregrina tenha acesso apenas ao que ela permitir.

Geralmente, quando uma nova alma é inserida no corpo humano, a alma de seu hospedeiro é suprimida, mas não morta. Assim, por mais que ela não possa fazer nada para reagir, ela está ali, consciente de tudo. No entanto, vez ou outra, há uma alma mais forte, mais determinada, que não se deixa dominar e faz com que o hospedeiro conviva com duas almas ao mesmo tempo, causado conflitos entre as emoções, sentimentos e pensamentos de ambas. Melanie era uma dessas almas.

Os dias se passam e Peregrina percebe que Melanie realmente não facilitará as coisas para ela. No entanto, uma noite, Melanie sonha com Jamie e Jared, permitindo que Peregrina tenha acesso a algumas memórias.

Melanie agora sabe que as pessoas que ela ama estão em perigo e, para confundir Peregrina, começa a bombardeá-la com fragmentos de suas lembranças, sentimentos e emoções, para que, ao invés de caçá-los, sua invasora decida ajuda-los. Só que o tiro saiu pela culatra e o resultado foi que Peregrina acabou se apaixonando por Jared e amando a Jamie como se fosse seu próprio irmão. Assim, ela decide realmente ajudá-los, sem entregá-los aos Buscadores. Peregrina também se torna uma rebelde.

Elas fogem para o deserto e lá, pouco a pouco, Melanie vai liberando suas lembranças para que Peregrina consiga encontrar o esconderijo onde Jared e Jamie estão. Porém, para sua surpresa, há muito mais pessoas do que elas imaginavam. Uma grande comunidade escondida em meio a cavernas subterrâneas.

Peregrina agora está em apuros. Correndo o risco de ser morta, ela prefere ocultar a presença de Melanie por enquanto, pois os humanos acham que ela é uma Buscadora e jamais acreditariam se ela dissesse que Melanie ainda vive. Ela se torna prisioneira e é muito maltratada pelos humanos com quem agora é obrigada a conviver. Eles a odeiam.

Juntas, elas começam a traçar planos para poderem contar a verdade e serem aceitas por aquela comunidade e, principalmente, por Jared, que é o que mais sente aversão à parasita. Com o tempo, Peregrina conquista a tolerância de alguns e a confiança de outros, mas também está totalmente indefesa diante de outros que querem matá-la na primeira oportunidade.

Como se não bastasse todo o stress vivido nas cavernas, as duas almas enfrentam um novo impasse: Melanie sentia muito ciúme de Peregrina e Jared e vivia deixando-a muito ciente disso. Assim, Peregrina começa a se interessar por Ian, que está claramente apaixonado por ela. 
Como lidar? 
Como fazer quando duas almas vivem num só corpo e estão apaixonadas por duas pessoas distintas?
Como resolver essa história de amor bizarra entre 3 corpos e 4 almas?

A Hospedeira me surpreendeu bastante! Eu não sou muito fã de alienígenas e ficção científica, mas esses elementos misturados ao romance deram super certo no livro de Stephenie Meyer.

Confesso que nos primeiros capítulos a leitura foi bem lenta, eu não conseguia me interessar, mas depois da página 80 as coisas começaram a acontecer e o livro me ganhou de vez!

É impossível não torcer por Peregrina e Melanie ao mesmo tempo. Cada uma é cativante a seu modo e isso é muito legal, porque mexe com a nossa cabeça. Melanie é resistente, determinada, forte. Peregrina é doce, sensível, altruísta. Acabou se apaixonando pelos humanos e traindo sua própria espécie. Ela simplesmente faz de tudo para protegê-los, mesmo que isso, no fim, resulte em sua morte.

Há muitos outros personagens no livro, todos muito interessantes. A história realmente é muito boa. Eu só fiquei com um gostinho de quero mais no fim, querendo saber mais sobre como a vida deles continuariam dali pra frente. Mas, ao que parece, dona Meyer está trabalhando agora num segundo livro, dando sequência a essa história. Será isso mesmo? Aguardemos!

E, como todos sabem, A Hospedeira foi para as telonas e sua estreia está marcada para o dia 29 de Março. Será que o filme será à altura do livro?

Abaixo, o trailer.

Esta resenha é para o item 1 do Desafio Realmente Desafiante:
- Ler um livro que você ganhou, não gostou muito e ficou na prateleira.

7 comentários

Rapha disse...

Oi San :D

Saudade, amore!

Todo mundo fala que o começo desse livro é meio lento mesmo, mas que se vc persiste e vai até o final, se surpreende :)
comprei esse livro há uns dois anos e até hj nao li, preciso criar coragem (ou vergonha na cara hahaha) e ler ^^

Beeeeijão :*

Raquel Machado disse...

Oi flor,
Sabe que tentei ler esse livro semana passada mas não consegui nãos ei o que faltou para mim mas faltou cheguei ate a metade me arrastando e pela fila enorme me esperando desisti abandonar a leitura. Já nao sou muito fa de extraterrestres e tal e sei lá esse realmente não me agradou mas isso foi para meu gosto ne...aproveito para convidar a voce ir la no blog votar na historias do povo do mes se puder agradeço desde ja.
Bjsss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Gleice Couto disse...

Oie!

Tb gostei mt do livro e tb dei 4 estrelas pra ele! Meyer me surpreendeu. :)

Mas, de alguma forma, não consigo visualizar o livro em filme. vc consegue? O_o

Sobre a continuação da série...Não gostei. Achei que ela fechou bem com um pouco de 'maybe'. Tô com receio de jogar tudo no ralo.. D:

Beijos, lindona!!!!

Gleice
www.murmuriospessoais.com

Gih Pinheiro disse...

San!!! Tô com medo de ler esse livro! kkkkkk. Será que vou gostar?
Mas quero ler, pra conhecer e ver o filme depois...

Amei a resenha!!!! *-*

Tem meme pra ti lá no blog...

http://kastmaker.blogspot.com.br/2013/03/meme-aos-23.html

Mys disse...

Oi San
Como fã de ficção científica eu adorei a resenha e a história. Tanto que por causa disso eu comprei o livro. Tu bem sabes disso, pois foi a responsável por me contar os Spoilers que tanto gosto. ;)
Agora terá outro livro? Mo pai! rs
Já o filme , eu irei ver sim. Se não for fiel ao livro, nem ligo u.u Pois já estou acostumada a assistir os filmes antes e ler os livros depois. Assim não vou com tanta expectativa como as demais pessoas vão e "quebram a cara" na maioria da vezes. rs
Bj =)

Marco Antonio disse...

Bom dia Sandra,

Achei interessante o livro, mais não sei se gostaria de lê-lo...parabéns pela resenha...abçs.


http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

Luciana Mara disse...

Gêmea,

comigo foi a mesma coisa. O início achei um porre, mas depois curti.
Eu ficava sempre imaginando um desfecho onde todos pudessem se dar bem (vamos combinar que a tia Meyer só gosta de finais felizes).

Eu também queria saber mais após o final. O filme saindo, pode ser que ela publique a continuação mesmo ($.$).

Bjins

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Últimos livros lidos